Céia Poubel é uma referência na luta contra a violência doméstica e pelo empoderamento feminino em Vila Velha

Os encontros on-line do PSD Mulher também foram marcados por histórias de superação. Durante a reunião com o núcleo do Espírito Santo, realizada no dia 9 de julho, a radialista e pré-candidata a vereadora na cidade de Vila Velha Céia Poubel relembrou as agressões que sofreu do ex-marido, um empresário do setor hoteleiro com quem teve dois filhos.

Nascida em Resplendor, no interior de Minas Gerais, a pré-candidata mudou-se ainda adolescente com o marido para o município de Baixo Guandu, na região Noroeste do Espírito Santo. “Eu era agredida todos os dias. Fingi desmaios inúmeras vezes porque comecei a notar que ele parava de me bater quando eu desmaiava. Sofri muita violência, muita porrada, puxões de cabelo e socos. Quando estava grávida, ele me deixou dois dias presa em um quarto sem comer. Ele já apontou uma arma para a minha cabeça. Cheguei a ir à delegacia algumas vezes para fazer boletins de ocorrência, mas não existia a Lei Maria da Penha e as pessoas não acreditavam porque ele era de uma família muito rica”, relembra a pré-candidata, de 46 anos.

Em 1999, cansada das constantes agressões do então marido, Céia saiu de casa, deixou os filhos com os pais dela, em Resplendor, e decidiu se mudar para Vila Velha, onde recomeçou a vida com apenas duas mudas de roupa e uma sacola de supermercado. “Eu não conhecia ninguém, tinha vergonha de falar sobre isso, não tinha auxílio nenhum e fui ficando nas ruas. Fiquei por cerca de um ano comendo comida do lixo, tentando sobreviver e com medo de ser estuprada. Além das agressões físicas, psicológicas e patrimoniais, já tinha sido estuprada algumas vezes pelo meu ex-marido”, conta a pré-candidata.

Depois de conseguir emprego como faxineira, Céia começou a se reerguer. Trouxe os filhos para Vila Velha e passou a atuar na defesa de projetos contra a violência doméstica e pelo empoderamento feminino. Atualmente, é diretora do jornal Palavra de Mulher e apresentadora de um programa homônimo à publicação que é transmitido pela rádio Praia da Costa FM. “Tive uma conversa muito séria com Deus e disse que, se ele me ajudasse, eu faria algo por alguém”, recorda a pré-candidata, que contou com o apoio do ex-prefeito de Vila Velha e presidente do PSD no Espírito Santo, Neucimar Fraga.

Durante a gestão de Neucimar (2009-2012), Céia exerceu o cargo de subsecretária de Políticas para as Mulheres. “Ele me deu essa oportunidade, que agarrei com unhas e dentes, e comecei a fazer projetos como o Centro de Referência no Atendimento Especializado à Mulher em Situação de Violência Doméstica de Vila Velha (Cramvive), o Dia da Mulher Negra (celebrado em 25 de julho), o Dia da Policial Feminina, entre outros projetos”, ressalta a pré-candidata.