Foi o segundo módulo do curso “Redes sociais – mulher na política”, oferecido pelo núcleo paulista do PSD Mulher.

O Facebook foi tema do segundo módulo do curso “Redes sociais – mulher na política”, oferecido pelo núcleo paulista do PSD Mulher em parceria com a empresa de comunicação Inspira Conteúdo, na tarde desta quarta-feira (23), em São Paulo.

Mais de 30 filiadas ao partido assistiram à aula, apresentada pelas jornalistas Cecília Polycarpo, Juliana Zorzato e Milene Moreto, que desenvolveram o curso. Segundo a coordenadora nacional do PSD Mulher, a ex-vice-prefeita de São Paulo Alda Marco Antonio, a iniciativa pretende qualificar aquelas que pretendem disputar cargos públicos nas próximas eleições e também as que querem apoiar quem vai se candidatar.

O Facebook, que tem 2,13 bilhões de usuários no mundo, 127 milhões dos quais no Brasil, é considerado como a mais democrática das redes sociais, na oferta de formatos, pela jornalista Milene Moreto. “Só ali é possível postar textos, vídeos, fazer galerias de fotos, carrossel”, diz ela.

Boa parte da aula desta quarta-feira tratou de como deve ser feita a comunicação. “É importante ir direto ao ponto, só assim é possível prender a atenção da audiência”, aponta Milene, para quem não há fórmula perfeita para a veiculação de conteúdos. “Nós sabemos, por exemplo, que os textos com 50 caracteres são os que mais funcionam, mas é necessário testar, observar a reação da audiência e ir adaptando o formato até o modelo ideal”.

Milene chama a atenção, em especial para um ponto: a interação com o público. “Todo comentário deve ser respondido, sempre”, diz. “E é importante, ainda, ter uma avaliação fria das curtidas e dos comentários negativos: às vezes um post tem dois comentários negativos e 50 curtidas, não se pode achar que foi mal avaliado”, analisa.