A deputada Maisa Mitidieri: “Toda rede tem uma dedicação ímpar e isso faz toda diferença”

Para destacar os 14 anos da criação da Lei Maria da Penha, a deputada estadual e presidente da Frente Parlamentar em Defesa das Mulheres da Assembleia Legislativa de Sergipe, Maisa Mitidieri (PSD), protocolou na casa Moção de Aplauso que parabeniza a Rede de Apoio de Proteção e Defesa da Mulher.

Ela lembra que a lei criada em 7 de agosto de 2006 foi um divisor de águas no combate à violência contra mulher no Brasil. “É muito importante destacar e parabenizar todos aqueles que estão diariamente lutando para que os direitos das mulheres sejam preservados. Toda rede tem uma dedicação ímpar e isso faz toda diferença”, diz Maisa.

De acordo com a pesquisa “Violência Contra as Mulheres”, do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, o local mais perigoso para a mulher é dentro de suas próprias casas. Já que, segundo o estudo, 76% das agressões são cometidas por homens conhecidos, a exemplo de namorados, cônjuges, companheiros, ex ou até vizinhos. Dados que chamam muito atenção, como explica a deputada. “Hoje, uma mulher se sentir mais segura na rua do que dentro da sua residência é algo muito alarmante e chega a ser surreal. O nosso lar deveria ser um local de sossego e segurança, mas infelizmente a realidade diz o contrário”, destaca.

Dados da Secretaria da Segurança de Sergipe mostram que entre janeiro e maio deste ano houve uma queda de 29,9% no número de boletins de ocorrência denunciando lesão corporal no âmbito doméstico. Em contrapartida a esses números, os dados divulgados pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública mostram um crescimento de 22,2% no número de feminicídios no país.

Outra questão que chama a atenção no levantamento é o aumento do número de denúncias. Apenas em abril o crescimento foi de 37,6%, período em que todos os Estados já adotaram medidas de distanciamento social. “Embora já tenhamos avançado bastante ainda teremos um longo caminho a ser trilhado dentro dessa luta em defesa da mulher”, conclui a deputada.