Irene foi a mais votada por vereadores ficará no comando do município até 31 de dezembro.

Em eleição indireta, Irene Rodrigues (PSD) foi confirmada neste domingo (2) no cargo de prefeita de Araguanã, cidade que fica na região norte do Tocantins. Ela foi a mais votada por vereadores ficará no comando do município durante o mandato tampão, que vai até 31 de dezembro deste ano.

A votação pelos vereadores foi convocada porque o prefeito eleito, Fernando Luiz dos Santos (PSD), renunciou ao cargo ainda em 2017 e outros dois gestores interinos morreram recentemente. Irene, que era vice-presidente da Câmara de Vereadores, já estava à frente da Prefeitura, também como interina, desde o final de junho. Ela é a quarta pessoa a assumir o cargo em menos de quatro anos.

Oito parlamentares escolheram a prefeita em votação aberta, durante uma sessão extraordinária, e a decisão foi unânime. Esta é a primeira vez que uma mulher é eleita na cidade.

Maria de Lourdes (vice pelo DEM) e Irene Rodrigues

Além de Irene Rodrigues, a ex-primeira-dama do município, Raimunda da Silva Leite (PSC) e o vice Cícero Alves Sousa (PSC) também concorreram aos cargos. A segunda chapa não recebeu nenhum voto. A vice-prefeita eleita é Maria de Lourdes Fortaleza (DEM).

Após ser eleita, Irene Rodrigues disse que espera enfrentar desafios e afirmou que pretende resolver pendências do município. Sobre o combate ao novo coronavírus, a prefeita disse que vai continuar ações para evitar novos casos da doença. “Já estamos fazendo o possível e o impossível. Temos o decreto do uso de máscaras, álcool em gel, distanciamento e isolamento. A prioridade é tratar bem nossa comunidade, em especial nossos servidores públicos”, disse Irene Rodrigues.

A votação foi convocada porque o prefeito eleito em 2016, Fernando Luiz dos Santos (PSD), renunciou ao cargo ainda em 2017 e o vice-prefeito Hernandes Neves de Brito (DEM), que assumiu desde então, morreu na primeira quinzena de junho passado vítima de covid-19, após um mês internado. Seu sucessor foi o então presidente da Câmara, Cícero Cruz de Araújo (PDT), mas ele morreu antes do final de junho, após passar mal em um restaurante. Desde então a vereadora Irene Rodrigues, que era vice-presidente da Câmara, vinha ocupando o cargo.