Segundo Cleice Freitas (a quarta, da esquerda para a direita), problema afeta principalmente os municípios mais afastados da capital, Rio Branco, e as comunidades indígenas

Os encontros on-line do PSD Mulher mostraram as semelhanças entre as trajetórias das participantes, mas também evidenciaram as peculiaridades do cenário político em cada Estado. A coordenadora do núcleo feminino no Acre, Cleice Freitas, falou sobre a dificuldade de acesso à internet, problema que afeta principalmente os municípios mais afastados da capital, Rio Branco, e as comunidades indígenas, que só podem ser visitadas após viagens de até cinco horas de barco.

Por conta disso, ela solicitou a produção de mais materiais impressos do partido. “O acesso ainda é muito ruim em determinados municípios do nosso Estado. Então, fica difícil para as nossas militantes terem acesso ao material do site do partido. No dia da nossa live, algumas não conseguiram acessar a internet. Temos também comunidades indígenas com representantes do PSD Mulher. Acredito que as militantes vão absorver melhor as ideias e ter mais empenho com materiais didáticos e videoaulas”, ressaltou Cleice.

Ainda segundo a coordenadora, o PSD Mulher tem núcleos estabelecidos nos 22 municípios do Estado. A reunião do núcleo feminino do Acre, promovida no dia 5 de junho, contou com outras lideranças locais, entre elas Lene Petecão, vereadora em Rio Branco, e Marfisa Galvão, ex-deputada federal e pré-candidata a vice-prefeita na capital.

Cleice agradeceu ao presidente estadual do PSD, o senador Sérgio Petecão, pelo incentivo que sempre deu ao núcleo feminino.“Temos um apoio muito grande dele, é o nosso braço direito. O PSD Mulher conta com ele em todas as atividades.”